quarta-feira, 13 de julho de 2016

MESTRE BOB MARLEY

MESTRE RAUL SEIXAS

Raul Seixas

Raul Seixas
O cara

Maluco Beleza

Enquanto você
Se esforça pra ser
Um sujeito normal
E fazer tudo igual...
Eu do meu lado
Aprendendo a ser louco
Maluco total
Na loucura real...
Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez...
Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza...
E esse caminho
Que eu mesmo escolhi
É tão fácil seguir
Por não ter onde ir...
Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez
Eeeeeeeeuu!...
Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez
Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com toda certeza
Maluco, maluco beleza...

sexta-feira, 29 de abril de 2016

CONFLITO NORTE-SUL

 CONFLITO NORTE-SUL: PÁISES DESENVOLVIDO E PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS


                     Levando em consideração critérios econômicos e também o grau de influencia dos países nos sistema econômico mundial, podemos regionalizar o mundo em países desenvolvidos e países subdesenvolvidos.

Subdesenvolvimento: ficou associado à descolonização - Processo de independência das colônias europeias e à formação de novas nações, mas  ainda  fortemente  subordinadas e dependentes do resto do mundo. Países subdesenvolvidos são países que, apresentam os mais baixos indicadores de desenvolvimento socioeconômico e humano entre todos os países do mundo.

     O termo surgiu após a Segunda Guerra em documentos da ONU. A publicação sistemática de dados estatísticos pela ONU sobre: Índice de Mortalidade/ Salário / Formas de Alimentação/Habitação/ Nível Consumo/ Distribuição de Renda / Renda per Capita/ evidenciam um grande afastamento entre países desenvolvidos, antigos colonizadores, outro grupo considerado “Subdesenvolvido”.

OS BRIC’s

BRIC é um termo criado em novembro de 2001 pelo economista Jim O´Neill, do grupo Goldman Sachs. O termo foi criado para designar os 4 (quatro) principais países emergentes do mundo,: Brasil, Rússia, Índia e China. Posteriormente a África do Sul compôs o grupo.
Principais características dos países emergentes:
- Padrão de vida de grande parte da população entre os níveis baixo e médio;
- IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): entre os níveis médio e alto;
- Renda per capita (PIB per capita) entre 5 e 8 mil dólares.
- Setor industrial em desenvolvimento;
- Crescimento da infraestrutura (portos, rodovias, aeroportos, ferrovias, etc.);
- Atração de capital externo para investimentos nos setor produtivo;
- Aumento da instalação de filiais de grandes empresas multinacionais;
- Crescimento positivo na geração de empregos;
- Taxas elevadas de formação de capital;
- Mudanças significativas e positivas na estrutura social e econômica da população: diminuição da pobreza e aumento da classe média baixa;
- Existência de processo de êxodo rural (migração do campo para os centros urbanos).
A Polarização Norte x Sul – Predominância dos Países Desenvolvidos no norte e de Subdesenvolvidos no sul. Embora atualmente existam Países Desenvolvidos no sul, esta classificação parece de maior aceitação. O Norte e o Sul foram definidos com base nas condições econômicas e sociais dos países, devido ao fato de a maioria dos países desenvolvidos encontrarem-se na parte norte do planeta.

          Os países desenvolvidos e subdesenvolvidos também são denominados, respectivamente, pelas expressões Norte Sul. Essa denominação tem como critério a posição geográfica dos países: os ricos (exceto Austrália e Nova Zelândia - Sul) estão no hemisfério Norte, enquanto os subdesenvolvidos situam-se ao Sul das nações desenvolvidas.

A fronteira que separa o Norte do Sul não é a linha do Equador, mas sim, uma linha econômico-social. A linha imaginária agrupa no grupo do Norte: EUA, Europa Ocidental e Oriental, Japão Canadá, Austrália e Nova Zelândia. No grupo do Sul, América Latina e Caribe, Ásia ( com exceção do Japão), e África.

Características dos países centrais (Norte)

       Elevado nível de industrialização;
       Controle cientifico e tecnológico;
       Apresentam estrutura industrial completa, produzem todos os tipos de bens;
       Agropecuária moderna e intensiva, emprego de máquinas e mão-de-obra especializada.
       Alta expectativa de vida;
       Baixa taxa de natalidade;
       Predomínio nos setores secundário e terciário;
       Elevado consumismo;
       Elevada renda per capita;
       Baixa taxa de analfabetismo;
       Exportadores de produtos industrializados;
       Predomínio da população nas áreas urbanas.
       Boas condições de alimentação, habitação e saneamento básico;

Características dos países periféricos (Sul)

       Dependência econômica, política e cultural em relação às nações desenvolvidas;
       Deficiência tecnológica e baixo nível de conhecimento científico;
       Baixo nível de vida da maioria da população;
       Crescimento populacional elevado;

       Economia basicamente agrícola;
       Fornecedor de matéria prima;
       Mao de obra barata;
       PEA predominante no setor primário;
       Elevada taxa de natalidade, mortalidade principalmente a infantil;
       Predomínio de jovens na estrutura etária;
       Grandes desigualdades sociais;
       Importadores de produtos industrializados.

Divisão Internacional do trabalho

·         Origem da (DIT) No fim do século XV As diversas regiões do mundo passaram a desenvolver funções diferentes. A metrópole exportava manufaturas e as colônias produziam matéria-prima e exportavam para a metrópole;

·         Divisão Internacional do Trabalho consiste na especialização produtiva dos países; países desenvolvidos exportam tecnologia, empresas e empréstimos enquanto os emergentes exportam produtos industrializados e matéria-prima;

Revoluções Industriais

Revoluções Industriais

Nos primórdios da presença humana na Terra, as modificações que o homem produzia eram muito pequenas, sobretudo, antes do desenvolvimento da atividade agrícola. No decorrer da história da humanidade, com o crescimento populacional e com o desenvolvimento de novas técnicas, o domínio de novas tecnologias e os novos instrumentos de produção, as intervenções nas paisagens foram sendo cada vez mais intensas e amplas.
Nesse sentido, um marco na relação sociedade-natureza e no estabelecimento de novas formas de produção foi a Primeira Revolução Industrial.
Essa Revolução Industrial foi um processo iniciado na Inglaterra, aproximadamente na metade do século 18, que teve como um dos principais acontecimentos a invenção da máquina a vapor e sua aplicação na produção têxtil, ou seja, na fabricação de fios e tecidos.
Esse processo trouxe modificações significativas na economia e na sociedade, que se tornaram mais complexas, e, por conseqüência, no espaço geográfico: aumentou a quantidade de profissões, de mercadorias produzidas, de unidades de produção (as fábricas); as cidades passaram a crescer, em alguns casos, num ritmo bastante acelerado; o campo conheceu um processo de mecanização; foram estruturadas ferrovias, que aumentaram a capacidade de circulação de mercadorias e pessoas, além de terem agilizado o transporte; a necessidade por matérias-primas agrícolas e minerais ampliou-se significativamente e, em decorrência disso, muitos povos foram explorados, sobretudo no continente africano.
Essas modificações foram, num primeiro momento, restritas aos países que hoje denominamos de desenvolvidos - diversos da Europa, Como AlemanhaFrança,Bélgica e Holanda entre outros, além da própria Inglaterra; EUAJapão. A partir de meados do século 20, alguns países subdesenvolvidos se industrializaram, entre eles, o Brasil, mas o processo verificado nesses países é diferente daquele que ocorreu nos desenvolvidos, pois, por exemplo: o capital (dinheiro e máquinas) veio, em boa parte, de fora (de outros países), assim como a tecnologia, por meio de empresas estrangeiras (multinacionais).

Segunda Revolução Industrial

Desde a Primeira Revolução Industrial, o avanço tecnológico passou a atingir um ritmo bastante acelerado e isso se intensificou a partir da segunda metade do século 20 (Terceira Revolução Industrial), com o lançamento contínuo de novos produtos, a elaboração de novas máquinas e o aprimoramento de equipamentos de informática e de robôs, sempre controlados pelas grandes empresas multinacionais que possuem sedes nos países desenvolvidos e por esses países mesmos. Na Segunda Revolução Industrial, entre meados do século 19 e meados do século 20, diversos inventos passaram a ser produzidos e comercializados: automóvel, telefone, televisor, rádio, avião.
Essas situações de avanço tecnológico contínuo e modernização de equipamentos e produtos podem contribuir para que as pessoas desvalorizem o que não é moderno, inclusive, as sociedades que têm uma grande riqueza cultural, nas quais a criatividade humana está presente de forma marcante, como nas diversas sociedades indígenas que habitam o Brasil.

Terceira revolução industrial

Logo após a Segunda Grande Guerra, a economia internacional começou a passar por profundas transformações. Elas caracterizam a Terceira Revolução Industrial, diferenciando-a das duas anteriores, uma vez que engloba mudanças que vão muito além das transformações industriais.
Essa nova fase apresenta processos tecnológicos decorrentes de uma integração física entre ciência e produção, também chamada de revolução tecnocientífica.

Os 12 grandes problemas ambientais da humanidade


Os 12 grandes problemas ambientais da humanidade

Uma análise da UNEP (United Nations Environment Programme – Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente) sobre os grandes problemas mundiais da atualidade em relação ao ambiente, levantou 12 grandes problemas que preocupam pesquisadores, administradores e gerentes da área ambiental, são eles:
1. Crescimento demográfico rápido: Mesmo considerando que a taxa de fecundidade das mulheres está diminuindo nos países desenvolvidos, o crescimento demográfico aliado ao desenvolvimento tecnológico acelera a pressão sobre os sistemas e recursos naturais, e em geral traz como consequência mais impactos ambientais, devido ao aumento na produção industrial e nos padrões de consumo.
2. Urbanização acelerada: além do rápido crescimento demográfico, a aglomeração de população em áreas urbanas está gerando grandes centros com 15 milhões de habitantes ou mais. Esses centros de alta densidade populacional demandam maiores recursos, energia e infra-estrutura, além de criarem problemas complexos de caráter ambiental, econômicos e principalmente social.
3. Desmatamento: a taxa anual de desmatamento das florestas, especialmente das tropicais, ocasiona diversos problemas como erosão, diminuição da produtividade dos solos, perda de biodiversidade, assoreamento de corpos hídricos e etc.
4. Poluição marinha: a poluição marinha está se agravando cada vez mais devido a: descargas de esgotos domésticos e industriais através de emissários submarinos, desastres ecológicos de grandes proporções, como naufrágio de petroleiros, acúmulo de metais pesados no sedimento marinho nas regiões costeiras e estuários, perda de biodiversidade (exemplo: espécies frágeis de corais), poluição térmica de efluentes de usinas nucleares e etc.
5.    Poluição do ar e do solo: ocasionada principalmente pelas indústrias, agroindústria e automóveis, através de: emissões atmosféricas das indústrias, disposição inadequada de resíduos sólidos (exemplo: lixões) e de resíduos industriais que causam poluição do solo, acúmulo de aerossóis na atmosfera provenientes da poluição veicular e industrial, contaminação do solo por pesticidas e herbicidas, e etc.
6. Poluição e eutrofização de águas interiores – rios, lagos e represas: a poluição orgânica provenientes dos centros urbanos e atividades agropecuárias gera uma variedade de efeitos sobre os recursos hídricos continentais, os quais são fundamentais para o abastecimento público das populações. Essa pressão resulta na deterioração da qualidade da água, causada pelo fenômeno da eutrofização, acúmulo de metais pesados no sedimento, alterações no estoque pesqueiro e geralmente inviabiliza alguns dos usos múltiplos dos recursos hídricos.
7. Perda da diversidade genética: o desmatamento e outros problemas ambientais acarreta em perda de biodiversidade, ou seja em extinção de espécies e perda da variabilidade da flora e da fauna. A biodiversidade e seus recursos genéticos são fundamentais para futuros desenvolvimentos tecnológicos.
8. Efeitos de grandes obras civis: a construção de obras civis de grande porte, como represas de usinas hidrelétricas, portos e canais, gera impactos consideráveis e díficeis de mensurar sobre sistemas aquáticos e terrestres.
9. Alteração global do clima: o aumento da concentração dos gases estufa na troposfera terrestre (primeira camada da atmosfera) e de partículas de poluentes está causando um fenômeno conhecido como aquecimento global, que é o aumento da temperatura do planeta, devido a maior retenção da radiação infravermelha térmica na atmosfera. Cada grau celsius de aumento da temperatura terrestre irá trazer consequências diferentes, e estas são acumulativas, segundo o 2º relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) apenas 1º C a mais já é suficiente para derreter as geleiras de topos de montanha do mundo todo, comprometendo abastecimento locais de água, e se o aumento chegar a 4º C estima-se que até 3,2 bilhões de pessoas poderão sofrer com a falta d’água e que a subida do nível do mar irá ameaçar a existência de cidades costeiras em todo o mundo.  As previsões de aquecimento para o fim deste século estimam entre 1,8º C e 4º C a mais na média da temperatura mundial.
10. Aumento progressivo das necessidades energéticas e suas conseqüências ambientais: o aumento da demanda energética devido ao crescimento populacional, urbanização e crescente desenvolvimento tecnológico gera a necessidade da construção de novas usinas hidrelétricas e termelétricas, grandes e pequenas usinas nucleares, e etc. E quanto maior a utilização de combustíveis fosséis (termelétricas, carvão mineral) mais gases de efeito estufa são lançados na atmosfera. Outros tipos de matrizes energéticas como hidrelétricas e usinas nucleares possuem impactos ambientais associados a sua construção e operação (exemplo: falta de tratamento para os resíduos nucleares).
11. Produção de alimentos e agricultura: A agricultura de alta produção é uma grande consumidora de energia, de pesticidas e de fertilizantes. A expansão das fronteiras agrícolas aumenta as taxas de desmatamento e perda de biodiversidade.
12. Falta de saneamento básico: principalmente nos países subdesenvolvidos, a falta de saneamento básico é um problema crucial devido às inter-relações entre doenças de veiculação hídrica, distribuição de vetores e expectativa de vida adulta e taxa de mortalidade infantil. E também pela poluição orgânica gerada pelo aporte de esgostos domésticos e drenagem pluvial em corpos d’água devido a falta de infra-estrutura adequada e a lançamentos irregulares.
Dentre os problemas ambientais que afetam o Brasil, podemos listar os mais críticos:
1. Desmatamento, que acarreta em perda de Biodiverdidade;
2. Erosão devido a desmatamento e manejo inadequado do solo na agricultura e pecuária;
3.  Poluição das águas e solos devido a falta de saneamento básico nas áreas urbanas e rurais;
4. Falta de políticas de gerenciamento de resíduos sólidos nas áreas urbanas, gerando “lixões”;
5. Poluição industrial.
No entanto, a partir da década de 70, a humanidade começou a tomar consciência dos seus impactos sobre a natureza, devido principalmente as consequências econômicas que as reações da natureza a esses impactos geravam, como mais gastos com saúde pública. Isso levou ao surgimento de uma nova abordagem de desenvolvimento econômico conciliatório com a conservação ambiental, surgiu assim o conceito de desenvolvimento sustentável.
- See more at: http://www.licenciamentoambiental.eng.br/os-12-grandes-problemas-ambientais-da-humanidade/#sthash.IaiBd7rw.dpuf

sexta-feira, 14 de agosto de 2015



 Combustíveis fósseis – Vantagens

 - Os combustíveis fósseis têm um valor muito alto poder calorífico. Assim, queima de 1 g de combustíveis fósseis libera enorme quantidade de energia. Assim, a energia produzida pelos combustíveis fósseis é maior do que o produzido por uma quantidade equivalente de fonte de energia outro. - Os reservatórios de combustíveis fósseis são bastante fáceis de localizar com a ajuda de equipamentos e tecnologia avançada.

 - Carvão é um combustível fóssil que é encontrado em abundância. É utilizado na maioria das plantas de energia porque reduz o custo de produção em grande medida. - Transporte de combustíveis fósseis, que são em formas líquidos ou gasosos é muito fácil. Eles simplesmente são transportados através de tubos. - Construção de usinas que funcionam com combustíveis fósseis também é fácil.

 - O petróleo é a forma mais utilizada predominantemente de combustíveis fósseis para todos os tipos de veículos. - Os combustíveis fósseis são mais fáceis de extrair e processar, portanto, são mais baratas do que as formas não-convencionais de energia.

Combustíveis fósseis - Desvantagens
- Embora, os combustíveis fósseis são uma fonte preferida de energia até recentemente, o seu consumo ao longo e algumas propriedades indesejáveis levaram a várias questões de grande importância. As desvantagens de combustíveis fósseis são: - Embora, petróleo, gás natural e carvão são encontrados em abundância na natureza, o ritmo alarmante em que estão sendo consumidos resultou em depleção substancial de seus reservatórios. Além disso, é impossível para reabastecer os recursos que leva milhões de anos para as cadeias de hidrocarbonetos para formar a partir de restos orgânicos.

- Os hidrocarbonetos presentes nos combustíveis fósseis, gases de estufa de libertação, tais como metano, etc, dióxido de carbono, que são capazes de danificar a camada de ozônio.
 - Além disso, outros gases nocivos como monóxido de carbono e dióxido de enxofre são responsáveis pela chuva ácida, que representaram um desastre para a ecologia
. - Extração de combustíveis fósseis colocou em perigo o equilíbrio ambiental em algumas áreas. Além disso, a mineração de carvão tem prejudicado a vida dos trabalhadores das minas de vários.
- O esgotamento dos reservatórios foi feita a extração de combustíveis fósseis um assunto caro. Este é susceptível de afetar os preços dos combustíveis no futuro próximo.
 - Vazamento de alguns combustíveis fósseis, como gás natural, petróleo pode levar a graves perigos. Assim, o transporte desses combustíveis é muito arriscado. - Os combustíveis fósseis contribuíram em mais de um caminho para o aquecimento global, a questão que está sendo combatida em todo o mundo.

Biocombutiveis – Vantagens

- Possibilita o fechamento do ciclo do carbono (CO2), contribuindo para a estabilização da concentração desse gás na atmosfera (isso contribui para frear o aquecimento global);
- No caso específico do Brasil, há grande área para cultivo de plantas que podem ser usadas para a produção de biocombustíveis;
- Geração de emprego e renda no campo (isso evita o inchaço das cidades);
- Menor investimento financeiro em pesquisas (as pesquisas de prospecção de petróleo são muito dispendiosas);
- O biodiesel substitui bem o óleo diesel sem necessidade de ajustes no motor;
- Redução do lixo no planeta (pode ser usado para produção de biocombustível);
- Manuseio e armazenamento mais seguros que os combustíveis fósseis.

Biocombustíveis - Desvantagens

- Consome grande quantidade de energia para a produção;
- Aumento do consumo de água (para irrigação das culturas);
- Redução da biodiversidade;
- As culturas para produção de biocombustíveis consomem muitos fertilizantes nitrogenados, com liberação de óxidos de nitrogênio, que também são gases estufa;
- Devastação de áreas florestais (grandes consumidoras de CO2) para plantio das culturas envolvidas na produção dos biocombustíveis;
- Possibilidade de redução da produção de alimentos em detrimento do aumento da produção de biocombustíveis, o que pode contribuir para aumento da fome no mundo e o encarecimento dos alimentos;
- Contaminação de lençóis freáticos por nitritos e nitratos, provenientes de fertilizantes. A ingestão desses produtos causa problemas respiratórios, devido à produção de meta-hemoglobina (hemoglobina oxidada);

Energia eólica
Energia gerada com a utilização dos ventos, que transforma energia cinética em energia elétrica. Os ventos são originados pelo aquecimento da superfície terrestre. Há indícios que aponta a utilização desse tipo de energia desde 4.000 a. C. O movimento de hélices localizadas em áreas abertas gera a energia elétrica. O Brasil tem grande potencial eólico concentrado nas regiões litorâneas e no nordeste. Os tipos de tecnologia utilizados para a produção de energia eólica são os moinhos de vento, aeromotores, turbinas eólicas ou aerogeradores (transformam energia cinética em energia mecânica ou elétrica).


Vantagem e desvantagem
É uma energia renovável e limpa e não causa tanto impacto ambiental, mas ainda é pouco utilizada. A quantidade energia disponível varia de acordo com as estações do ano e o horário. O aspecto do solo também influencia na velocidade do vento. A quantidade de eletricidade depende de quatro fatores: quantidade de vento que passa na hélice, diâmetro da hélice, dimensão do gerador e o rendimento do sistema. Os países exploradores de energia elétrica são os Estados Unidos, Dinamarca e Alemanha. No Brasil, há parques eólicos no Rio Grande do
Sul, e em Macau no Rio Grande do Norte.

Energia Solar A energia solar é uma das opções para energias alternativas e é uma fonte de energia renovável e limpa. A obtenção da energia solar ocorre de forma direta ou indireta. Na forma direta, a obtenção é por meio de células fotovoltaicas que são feitas em sua maioria de silício. A luz solar, ao atingir as células, é convertida em eletricidade. Porém, o custo das células fotovoltaicas é elevado. O processo ocorre quando os fótons, do efeito fotovoltaico, incidem sobre os átomos, causando a emissão de elétrons que gera corrente elétrica.

 Vantagem e desvantagem A energia solar não apresenta nenhum índice de poluição; entretanto seu custo de instalação é muito alto e somente funciona bem em áreas ensolaradas. Na forma indireta, é necessária a construção de usinas em extensas áreas de insolação e, nesses locais, são espalhados diversos coletores solares. A energia solar não é tão utilizada, pois os custos são altos para obter energia e, dessa forma, ainda será necessário mais desenvolvimento e eficiência para diminuir os custos.

Energia geotérmica - Geo' significa terra e 'térmica' corresponde ao calor, geotérmica é a energia de calor oriunda da terra. É gerada a aproximadamente 64 quilômetros da superfície da Terra, no magma, e pode atingir 6.000°C. O magma é encontrado em fissuras na crosta terrestre e eclode nas erupções de vulcões.
A energia elétrica é obtida com perfurações dos solos com grande quantidade de vapor e água quente, que são retirados por determinadas tubulações. O vapor é transformado para uma central elétrica geotérmica e gira as lâminas de uma turbina. A energia gerada na movimentação das lâminas é transformada em energia elétrica, por meio do gerador.

Vantagem e desvantagem

A energia geotérmica consiste na inexpressiva emissão de gases poluentes, dos custos para a construção da usina e no abastecimento em áreas distantes. Entretanto, é uma energia cara e de baixa eficiência, pois o calor perdido faz aumentar a temperatura ambiente e ocorre a emissão do ácido sulfídrico, que é corrosivo e causa danos à saúde. A energia geotérmica possui duas finalidades básicas: o uso direto e a geração de eletricidade. Assim como todas as fontes energéticas, ela possui aspectos positivos e negativos, mais barata que combustíveis fósseis, quase nenhuma emissão de gases poluentes, produzem energia sem a interferência de fatores externos, usina que utiliza um local pequeno, abastecimento de locais afastados e geração de empregos. 

Desvantagens

cara e pouco rentável, pode ocasionar na deterioração do ambiente, o calor que é perdido aumenta a temperatura do ambiente, emissão de ácido sulfídrico, a energia deve ser colocada próxima ao campo geotérmico e a fonte pode se esgotar.

Fontes de energia I


 Energia eólica - Vantagens

- É inesgotável, Não emite gases poluentes nem geram resíduos, diminui a emissão de gases de efeito de estufa..
- Os parques eólicos são compatíveis com outros usos e utilizações do terreno como a agricultura e a criação de gado, geração de investimento em zonas desfavorecidas;
.-Reduz a elevada dependência energética do exterior, nomeadamente a dependência em combustíveis fósseis, É uma das fontes mais baratas de energia podendo competir em termos de rentabilidade com as fontes de energia tradicionais.
.
Energia Eólica.- Desvantagens

- A intermitência, ou seja, nem sempre o vento sopra quando a eletricidade é necessária, tornando difícil a integração da sua produção no programa de exploração;
- Provoca um impacto visual considerável, principalmente para os moradores em redor, a instalação dos parques eólicos gera uma grande modificação da paisagem;
- Impacto sobre as aves do local: principalmente pelo choque destas nas pás, efeitos desconhecidos sobre a modificação de seus comportamentos habituais de migração;
- Impacto sonoro: o som do vento bate nas pás produzindo um ruído constante (43dB(A)). As habitações mais próximas deverão estar, no mínimo a 200m de distância.


Usinas Hidrelétricas - Vantagens
- Devido à disponibilidade ciclo da água é inesgotável.
- É uma energia totalmente limpa, não emite gases poluentes.
- É uma energia barata, os custos operacionais são muito baixos, não são constantes melhorias tecnológicas que ajudem a explorar os recursos com mais eficiência.
- Ele armazena facilmente sistemas de abastecimento de água para recreação ou de irrigação.
- Você pode regular o fluxo de controle e se há risco de alagamento.

Usinas Hidrelétricas - Desvantagens

- A construção dos pratos requerem um grande investimento, além disso, os sítios onde se pode construir o poder em condições econômicas são muito limitadas.
- Em segundo lugar, as barragens afetam os leitos dos rios, causando erosão e afetar o ecossistema.
- Barragens tendem a estar longe de grandes populações para transportar a eletricidade produzida através de redes caro.

Energia Nuclear - Vantagens

- não contribui para o efeito de estufa (principal); - não polui o ar com gases de enxofre, nitrogênio, particulados e etc.; - não utiliza grandes áreas de terreno: a central requer pequenos espaços para sua instalação; - não depende da sazonalidade climática (nem das chuvas, nem dos ventos); - grande disponibilidade de combustível; - é a fonte mais concentrada de geração de energia - a quantidade de resíduos radioativos gerados é extremamente pequena e compacta; - a tecnologia do processo é bastante conhecida; - o risco de transporte do combustível é significativamente menor quando comparado ao gás e ao óleo das termoelétricas; - não necessita de armazenamento da energia produzida em baterias;

Energia Nuclear - Desvantagens

- necessidade de armazenar o resíduo nuclear em locais isolados e protegidos; - necessidade de isolar a central após o seu encerramento; - é mais cara quando comparada às demais fontes de energia; - os resíduos produzidos emitem radiatividade durante muitos anos; - dificuldades no armazenamento dos resíduos, principalmente em questões de localização e segurança; - pode interferir com ecossistemas; - grande risco de acidente na central nuclear.
esta desvantagem provavelmente durará pelo menos uns 30 anos, a partir de quando já se esperam desenvolvidas tecnologias para reciclagem e reaproveitamento dos resíduos radioativos.

Obs
– ao contrário do que muita gente pensa, a energia nuclear não é uma energia suja;

– os impactos ambientais causados pela deposição do resíduo radioativo não são muito maiores que os impactes do lago de uma hidroelétrica