terça-feira, 5 de setembro de 2017

Questões mais difíceis do ENEM 2015

 Na prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias, os temas que são cobrados nas questões de Geografia são os mesmos que fazem parte do conteúdo programático do próprio Ensino Médio. Porém, uma característica marcante do Enem, é que esses conteúdos são apresentados de forma interdisciplinar e integrados ao contexto do dia a dia.
  1. Enem 2015- 1ª Aplicação
Algumas regiões do Brasil passam por uma crise de água por causa da seca. Mas, uma região de Minas Gerais está enfrentando a falta de água no campo tanto em tempo de chuva como na seca. As veredas estão secando no norte e no noroeste mineiro. Ano após ano, elas vêm perdendo a capacidade de ser a caixa-d’água do grande sertão de Minas.
VIEIRA, C. Degradação do solo causa perda de fontes de água de famílias de MG. Disponível em: http://g1.globo.com. Acesso em: 1 nov. 2014
As veredas têm um papel fundamental no equilíbrio hidrológico dos cursos de água no ambiente do Cerrado, pois
a) colaboram para a formação da vegetação xerófila
b) formam os leques aluviais nas planícies das bacias
c) fornecem sumidouro para as águas de recarga da bacia.
d) contribuem para o aprofundamento dos talvegues à jusante.
e) constituem um sistema represador da água na chapada.
Para solucionar a questão, o aluno deve interpretar o texto, que explicita a capacidade de armazenamento das veredas.
Gabarito: e
Comentário:
O sistema de veredas é um ecossistema que compõe o Domínio dos Cerrados em um sentido mais restrito. Levando em consideração a abordagem da questão, há referência ao Domínio das Caatingas. De acordo com o texto, as veredas são semelhantes à caixa d´água do sertão, por ter capacidade de reter água, pois é um sistema que seu desenvolvimento se dá em solo tomado por água. O texto da questão pode confundir um pouco o candidato porque aborda um tema específico e que não é tão difundido nos materiais didáticos. O texto aponta o problema causado pelas secas, remetendo ao semiárido, que acomete o norte de Minas Gerais. A pergunta da questão, pede que o candidato faça referência ao papel específico das veredas e seu funcionamento.Sem falar que a questão faz lembrar do sério problema que preocupa a região do sertão mineiro: a proliferação do eucalipto que leva ao esgotamento as águas represadas pelo sistema de veredas.
  1. 2015- 1ª Aplicação

No mapa estão representados os biomas brasileiros que, em função de suas características físicas e do modo de ocupação do território, apresentam problemas ambientais distintos. Nesse sentido, o problema ambiental destacado no mapa indica
a) desertificação de áreas afetadas
b) poluição dos rios temporários.
c) queimadas dos remanescentes vegetais.
d) desmatamento das matas ciliares.
e) contaminação das águas subterrâneas.
A região destacada no mapa apresenta o processo de desertificação que ocorre, predominantemente, nas áreas do clima semiárido, presente em regiões do Nordeste e proximidades. Tal impacto é mais sentido na área da Caatinga.
Gabarito: a
Comentário:
O mapa apresenta os diferentes biomas brasileiros. Na legenda, é possível observar um problema ambiental, localizado na caatinga, sertão do nordeste brasileiro. Vamos eliminar a alternativa b, uma vez que a região que circunda os rios temporários, a agricultura pouco capitalizada, não os polui. Outra alternativa que pode ser eliminada é a letra d porque como não há rios permanentes, não há matas ciliares. Elimina-se também a alternativa e, já que se houvesse águas subterrâneas contaminadas, possivelmente, encontrar-se-iam na divisa entre Bahia e Pernambuco (Juazeiro e Petrolina), e não em toda a área em destaque. E, finalmente, elimina-se a alternativa c: as queimadas citadas ocorrem com mais frequência no Cerrado.
  1. 2015- 1ª Aplicação
Quanto ao “choque de civilizações”, é bom lembrar a carta de uma menina americana de sete anos cujo pai era piloto na Guerra do Afeganistão: ela escreveu que — embora amasse muito seu pai — estava pronta a deixá-lo morrer, a sacrificá-lo por seus pais. Quando o presidente Bush citou suas palavras, elas foram entendidas como manifestação “normal” de patriotismo americano; vamos conduzir uma experiência mental simples e imaginar uma menina árabe maometana pateticamente lendo para as câmeras as mesmas palavras a respeito do pai que lutava pelo Talibã — não é necessário pensar muito sobre qual teria sido a nossa reação.
A situação imaginária proposta pelo autor explicita o desafio cultural do (a)
a) prática da diplomacia.
b) exercício da alteridade.
c) expansão da democracia.
d) universalização do progresso.
e) conquista da autodeterminação.
A questão contempla conceitos da antropologia, já que trabalha “a questão do outro” (alteridade). O pai americano disposto a morrer é herói, em contrapartida, o pai islâmico disposto a morrer é considerado, pela lógica ocidental, terrorista.
Gabarito: B
Comentário:
O texto da questão influência o candidato a presumir que o pai da menina era um combatente talibã. Ao fazer essa comparação, o autor sugere uma reflexão ao nos colocar no lugar dessa criança, isto é, um exercício de autoridade.
  1. 2015- 1ª Aplicação
O projeto Nova Cartografia Social ensina indígenas, quilombolas e outros grupos tradicionais a empregar o GPS e técnicas modernas de georreferenciamento para produzir mapas artesanais, mas bastante precisos, de suas próprias terras.
LOPES, R. J. O novo mapa da floresta. FOLHA de S. Paulo, 7 de maio 2011 (adaptado).
A existência de um projeto como o apresentado no texto indica a importância da cartografia como elemento promotor da
a) expansão da fronteira agrícola.
b) remoção de populações nativas.
c) superação da condição de pobreza.
d) valorização de identidades coletivas.
e) implantação de modernos projetos agroindustriais.
O texto mostra o uso de técnicas modernas de georreferenciamento por povos tradicionais na Amazônia, com o objetivo de produzir precisos mapas artesanais, o que valoriza as identidades coletivas. O texto exclui as demais alternativas.
 Gabarito: d
Comentário:
Desde a Antiguidade Clássica, os mapas são uma técnica que nos mostra o espaço geográfico, seus objetos naturais e artificiais e as relações entre os seres humanos oriundas da transformação dos objetos da natureza em objetos artificiais (casas, pontes, plantações, dentre outros). Assim, os mapas são instrumentos que representam a geografia_bannerrealidade e, também, podem ser considerados instrumentos de planejamento e poder, pois podem informar pontos particulares de diferentes grupos. Por isso, é comum serem usados na valorização das identidades coletivas, sejam elas nacionais, regionais ou locais.
  1. 2015- 1ª Aplicação
No final do século XX e em razão da ciência, produziu-se um sistema presidido pelas técnicas da informação, que passaram a exercer um papel de elo entre as demais, unindo-as e assegurando ao novo sistema uma presença planetária. Um mercado que utiliza esse sistema de técnicas avançadas resulta nessa globalização perversa.
Santos. M. Por uma outra globalização. Rio de Janeiro: Record, 2008 (adaptado).
Uma consequência para o setor produtivo e outra para o mundo do trabalho advindas das transformações citadas no texto estão presentes, respectivamente, em:
a) Eliminação das vantagens locacionais e ampliação da legislação laboral.
b) Limitação dos fluxos logísticos e fortalecimento de associações sindicais
c) Diminuição dos investimentos industriais e desvalorização dos postos qualificados
d) Concentração das áreas manufatureiras e redução da jornada semanal.
e) Automatização dos processos fabris e aumento dos níveis de desemprego.
A expansão da revolução tecnocientífica informacional e o desenvolvimento do modelo flexível de produção transformaram o processo produtivo por meio da introdução da robotização, ampliando, assim, o nível de desemprego.
Gabarito: e
Comentário:
O período atual foi classificado por Milton Santos como técnico-científico e informacional. O emprego de sistemas técnicos de informação e automação para controlar o processo produtivo é uma das principais características do período técnico-científico e informacional. Tal característica passou a exigir recursos humanos qualificados para desenvolverem funções dentro do processo fabril, como também no setor primário. É inegável que os sistemas técnicos de informação e automação modernizaram a produção, contudo, consequentemente, causa demissões.

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Temas ENEM


Enem – Exame Nacional do Ensino Médio – traz, em seu edital, a divisão de alguns tópicos e subdivisões para organizar e apontar os conteúdos e temas a serem abordados durante a aplicação das provas. No que tange à Geografia, ela foi inserida no campo das “Ciências Humanas e suas Tecnologias”, possuindo temas que se encaixam em todos os seus respectivos subitens.
Segundo o edital do Enem, esse campo divide-se em:
  • Diversidade cultural, conflitos e vida em sociedade;
  • Formas de organização social, movimentos sociais, pensamento político e ação do Estado;
  • Características e transformações das estruturas produtivas;
  • Os domínios naturais e a relação do ser humano com o ambiente;
  • Representação espacial.
Dessa forma, após uma análise sobre a descrição e os temas apontados para cada um desses títulos, elaboramos uma divisão dos principais conteúdos da Geografia para facilitar os estudos para aqueles que desejam se aprofundar mais e melhor nos temas dessa disciplina. Vale ressaltar que os temas são os mesmos apontados pelo edital, de forma que o presente trabalho trata-se apenas de uma reorganização didática.
Cultura e Sociedade – temas referentes ao patrimônio, às práticas, às heranças e aos movimentos culturais nas sociedades. É importante tentar compreender como as práticas culturais comportam-se na era da Globalização.
Geografia do Brasil – formação territorial do Brasil, industrialização do Brasil, formas de regionalizar o país (regiões do IBGE e regiões Geoeconômicas), cidades e urbanização brasileira, fronteiras agrícolas, guerra fiscal no Brasil.
Demografia – conceitos demográficos, dinâmicas populacionais, teorias sobre o crescimento demográfico e a disponibilidade de recursos (teoria malthusiana, neomalthusiana e reformista), além de índices populacionais (IDH, renda per capita, expectativa de vida etc.).
Geopolítica – Globalização, Nova Ordem Mundial, conflitos pós-Guerra Fria, atentados terroristas no século XXI, blocos econômicos (destaques para a União Europeia e o Mercosul), organizações internacionais (ONU, Opep, Banco Mundial, FMI, etc.), países emergentes (destaque para os BRICS), regionalização do mundo.
Geoeconomia – Industrialização, Terceira Revolução Industrial, transformações nos modos de produção (Taylorismo, Fordismo, Toyotismo e Volvismo), transformações no mundo do trabalho, uso econômico dos recursos naturais, concentração e desconcentração industriais.
Geografia Urbana – Urbanização mundial, redes e hierarquias das cidades, metropolização e desmetropolização, problemas sociais urbanos (favelização, ocupações irregulares, mobilidade urbana, violência urbana etc.) e formação do espaço urbano-industrial.
Geografia Agrária – Agronegócio exportador no Brasil e no mundo, produção e transformação dos espaços agrários, êxodo rural, modernização dos equipamentos e das técnicas agrícolas (revolução verde), agricultura familiar, estrutura fundiária do campo, conflitos e movimentos sociais do campo, além da relação entre campo e cidade.
Meio Ambiente e recursos naturais: transformação do meio natural pelo homem, uso dos recursos minerais, fontes de energia, recursos hídricos e sua importância; bacias hidrográficas, ciclo da água, uso sustentável dos recursos naturais, problemas ambientais contemporâneos (aquecimento global, ilhas de calor, inversão térmica, chuva ácida, destruição da camada de ozônio etc.), efeito estufa, nova ordem ambiental internacional, políticas ambientais brasileiras e mundiais, unidades de conservação, preservação dos recursos naturais.
Geografia Física e fenômenos naturais: estrutura interna e camadas da Terra, formação e estruturação dos solos e do relevo, agentes endógenos e exógenos de transformação da superfície, erosão, intemperismo, sedimentação, tipos de rochas, ciclo das rochas, estruturas geológicas, diferenças e relações entre tempo e clima, fatores climáticos, fenômenos atmosféricos, tipos de clima no Brasil e no Mundo, biomas e domínios morfoclimáticos no Brasil e no Mundo.
Cartografia: os mapas e seus elementos (escala, legenda etc.), técnicas de leitura e interpretação dos mapas, tipos de mapas, projeções cartográficas, Sistemas de Informações Geográficas (SIGs), geoprocessamento e tecnologias cartográficas, coordenadas geográficas e fusos horários.
Por fim, salientamos que os candidatos, ao estudarem cada um desses temas acima apresentados, procurem os enxergar em um contexto mais amplo e não apenas em suas subdivisões. Assim, é interessante sempre relacionar os assuntos com as mais diversas formas de saberes, produzindo, assim, um conhecimento interdisciplinar.

Temas de Redação

O professor de português Romulo Bolivar, há 14 anos dando aulas para turmas de pré-vestibular, deu ao EXTRA sete dicas de possíveis temas para a redação do próximo Exame Nacional do Ensino Médio - Enem 2017. Como é tradição da banca escolher assuntos atuais, ele aconselha o candidato a estar atento ao que acontece no Brasil:
- Ainda que o assunto seja tecnologia, por exemplo, o foco não será Japão, mas Brasil. A situação de outros países até pode surgir na redação como fator secundário e elemento de comparação. No entanto, o aluno deve demonstrar no texto conhecimento sobre o tema em relação à nossa realidade.

1- Mobilidade urbana e qualidade de vida

Uma boa redação sobre esse tema deve apresentar uma proposta de intervenção com múltiplos agentes sociais e não responsabilizar apenas os administradores públicos pela solução. Citar casos bem-sucedidos de outros países e comparar às particularidades das várias cidades brasileiras ajuda a demonstrar uma visão mais ampla e objetiva do tema.

2 - Tecnologia e relacionamento humano

Em temas como esse, muito próximos da realidade do candidato, o desafio é manter a imparcialidade na apresentação dos argumentos, ainda que alguns possam coincidir com sua realidade de vida. Presente no ensino, nos relacionamentos, nas pesquisas de opinião e nas diferentes instituições sociais, qual a real contribuição da tecnologia para as relações humanas?

3 - Como o homem lida com os recursos naturais

Para esse tipo de redação, citações relacionadas à biologia ou à geografia, bem como trechos de notícias e reportagens atuais, costumam valorizar o texto e, consequentemente, elevar sua nota nas competências 2 e 3.

4 - O impacto social e cultural da crise hídrica

Evite expressões como “água é vida”; citar os impactos da falta de água em diferentes setores sociais e ambientais pode demonstrar que o candidato, além de consciente, é mais bem informado.

5 - O legado imaterial dos Jogos Olímpicos de 2016

O candidato que enumerar os aspectos imateriais positivos das Olimpíadas deve oferecer em sua proposta de intervenção medidas objetivas que visem a preservar, mesmo depois dos Jogos Olímpicos, as experiências e contribuições do evento.

6 - Caminhos para o combate à homofobia

A vulnerabilidade das minorias foi tema nas duas aplicações da prova em 2016. É importante perceber que a expressão “caminhos para o combate” impede que o candidato refute a existência do problema. A melhor abordagem é sempre criticar a existência do preconceito, suas causas, consequências e indicar medidas que o resolvam.

7 - A inversão da pirâmide etária

Diante da nova perspectiva para longevidade e quantidade de filhos no Brasil, como ficam acessibilidade, saúde, a aposentadoria, a educação em nossa sociedade? Nesse caso, demonstrar conhecimento acerca de fatores históricos e demográficos, assim como citar a reforma da previdência de forma imparcial, é um dos melhores caminhos a serem seguidos pelo candidato.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

MESTRE BOB MARLEY

MESTRE RAUL SEIXAS

Raul Seixas

Raul Seixas
O cara

Maluco Beleza

Enquanto você
Se esforça pra ser
Um sujeito normal
E fazer tudo igual...
Eu do meu lado
Aprendendo a ser louco
Maluco total
Na loucura real...
Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez...
Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza...
E esse caminho
Que eu mesmo escolhi
É tão fácil seguir
Por não ter onde ir...
Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez
Eeeeeeeeuu!...
Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez
Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com toda certeza
Maluco, maluco beleza...

sexta-feira, 29 de abril de 2016

CONFLITO NORTE-SUL

 CONFLITO NORTE-SUL: PÁISES DESENVOLVIDO E PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS


                     Levando em consideração critérios econômicos e também o grau de influencia dos países nos sistema econômico mundial, podemos regionalizar o mundo em países desenvolvidos e países subdesenvolvidos.

Subdesenvolvimento: ficou associado à descolonização - Processo de independência das colônias europeias e à formação de novas nações, mas  ainda  fortemente  subordinadas e dependentes do resto do mundo. Países subdesenvolvidos são países que, apresentam os mais baixos indicadores de desenvolvimento socioeconômico e humano entre todos os países do mundo.

     O termo surgiu após a Segunda Guerra em documentos da ONU. A publicação sistemática de dados estatísticos pela ONU sobre: Índice de Mortalidade/ Salário / Formas de Alimentação/Habitação/ Nível Consumo/ Distribuição de Renda / Renda per Capita/ evidenciam um grande afastamento entre países desenvolvidos, antigos colonizadores, outro grupo considerado “Subdesenvolvido”.

OS BRIC’s

BRIC é um termo criado em novembro de 2001 pelo economista Jim O´Neill, do grupo Goldman Sachs. O termo foi criado para designar os 4 (quatro) principais países emergentes do mundo,: Brasil, Rússia, Índia e China. Posteriormente a África do Sul compôs o grupo.
Principais características dos países emergentes:
- Padrão de vida de grande parte da população entre os níveis baixo e médio;
- IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): entre os níveis médio e alto;
- Renda per capita (PIB per capita) entre 5 e 8 mil dólares.
- Setor industrial em desenvolvimento;
- Crescimento da infraestrutura (portos, rodovias, aeroportos, ferrovias, etc.);
- Atração de capital externo para investimentos nos setor produtivo;
- Aumento da instalação de filiais de grandes empresas multinacionais;
- Crescimento positivo na geração de empregos;
- Taxas elevadas de formação de capital;
- Mudanças significativas e positivas na estrutura social e econômica da população: diminuição da pobreza e aumento da classe média baixa;
- Existência de processo de êxodo rural (migração do campo para os centros urbanos).
A Polarização Norte x Sul – Predominância dos Países Desenvolvidos no norte e de Subdesenvolvidos no sul. Embora atualmente existam Países Desenvolvidos no sul, esta classificação parece de maior aceitação. O Norte e o Sul foram definidos com base nas condições econômicas e sociais dos países, devido ao fato de a maioria dos países desenvolvidos encontrarem-se na parte norte do planeta.

          Os países desenvolvidos e subdesenvolvidos também são denominados, respectivamente, pelas expressões Norte Sul. Essa denominação tem como critério a posição geográfica dos países: os ricos (exceto Austrália e Nova Zelândia - Sul) estão no hemisfério Norte, enquanto os subdesenvolvidos situam-se ao Sul das nações desenvolvidas.

A fronteira que separa o Norte do Sul não é a linha do Equador, mas sim, uma linha econômico-social. A linha imaginária agrupa no grupo do Norte: EUA, Europa Ocidental e Oriental, Japão Canadá, Austrália e Nova Zelândia. No grupo do Sul, América Latina e Caribe, Ásia ( com exceção do Japão), e África.

Características dos países centrais (Norte)

       Elevado nível de industrialização;
       Controle cientifico e tecnológico;
       Apresentam estrutura industrial completa, produzem todos os tipos de bens;
       Agropecuária moderna e intensiva, emprego de máquinas e mão-de-obra especializada.
       Alta expectativa de vida;
       Baixa taxa de natalidade;
       Predomínio nos setores secundário e terciário;
       Elevado consumismo;
       Elevada renda per capita;
       Baixa taxa de analfabetismo;
       Exportadores de produtos industrializados;
       Predomínio da população nas áreas urbanas.
       Boas condições de alimentação, habitação e saneamento básico;

Características dos países periféricos (Sul)

       Dependência econômica, política e cultural em relação às nações desenvolvidas;
       Deficiência tecnológica e baixo nível de conhecimento científico;
       Baixo nível de vida da maioria da população;
       Crescimento populacional elevado;

       Economia basicamente agrícola;
       Fornecedor de matéria prima;
       Mao de obra barata;
       PEA predominante no setor primário;
       Elevada taxa de natalidade, mortalidade principalmente a infantil;
       Predomínio de jovens na estrutura etária;
       Grandes desigualdades sociais;
       Importadores de produtos industrializados.

Divisão Internacional do trabalho

·         Origem da (DIT) No fim do século XV As diversas regiões do mundo passaram a desenvolver funções diferentes. A metrópole exportava manufaturas e as colônias produziam matéria-prima e exportavam para a metrópole;

·         Divisão Internacional do Trabalho consiste na especialização produtiva dos países; países desenvolvidos exportam tecnologia, empresas e empréstimos enquanto os emergentes exportam produtos industrializados e matéria-prima;

Revoluções Industriais

Revoluções Industriais

Nos primórdios da presença humana na Terra, as modificações que o homem produzia eram muito pequenas, sobretudo, antes do desenvolvimento da atividade agrícola. No decorrer da história da humanidade, com o crescimento populacional e com o desenvolvimento de novas técnicas, o domínio de novas tecnologias e os novos instrumentos de produção, as intervenções nas paisagens foram sendo cada vez mais intensas e amplas.
Nesse sentido, um marco na relação sociedade-natureza e no estabelecimento de novas formas de produção foi a Primeira Revolução Industrial.
Essa Revolução Industrial foi um processo iniciado na Inglaterra, aproximadamente na metade do século 18, que teve como um dos principais acontecimentos a invenção da máquina a vapor e sua aplicação na produção têxtil, ou seja, na fabricação de fios e tecidos.
Esse processo trouxe modificações significativas na economia e na sociedade, que se tornaram mais complexas, e, por conseqüência, no espaço geográfico: aumentou a quantidade de profissões, de mercadorias produzidas, de unidades de produção (as fábricas); as cidades passaram a crescer, em alguns casos, num ritmo bastante acelerado; o campo conheceu um processo de mecanização; foram estruturadas ferrovias, que aumentaram a capacidade de circulação de mercadorias e pessoas, além de terem agilizado o transporte; a necessidade por matérias-primas agrícolas e minerais ampliou-se significativamente e, em decorrência disso, muitos povos foram explorados, sobretudo no continente africano.
Essas modificações foram, num primeiro momento, restritas aos países que hoje denominamos de desenvolvidos - diversos da Europa, Como AlemanhaFrança,Bélgica e Holanda entre outros, além da própria Inglaterra; EUAJapão. A partir de meados do século 20, alguns países subdesenvolvidos se industrializaram, entre eles, o Brasil, mas o processo verificado nesses países é diferente daquele que ocorreu nos desenvolvidos, pois, por exemplo: o capital (dinheiro e máquinas) veio, em boa parte, de fora (de outros países), assim como a tecnologia, por meio de empresas estrangeiras (multinacionais).

Segunda Revolução Industrial

Desde a Primeira Revolução Industrial, o avanço tecnológico passou a atingir um ritmo bastante acelerado e isso se intensificou a partir da segunda metade do século 20 (Terceira Revolução Industrial), com o lançamento contínuo de novos produtos, a elaboração de novas máquinas e o aprimoramento de equipamentos de informática e de robôs, sempre controlados pelas grandes empresas multinacionais que possuem sedes nos países desenvolvidos e por esses países mesmos. Na Segunda Revolução Industrial, entre meados do século 19 e meados do século 20, diversos inventos passaram a ser produzidos e comercializados: automóvel, telefone, televisor, rádio, avião.
Essas situações de avanço tecnológico contínuo e modernização de equipamentos e produtos podem contribuir para que as pessoas desvalorizem o que não é moderno, inclusive, as sociedades que têm uma grande riqueza cultural, nas quais a criatividade humana está presente de forma marcante, como nas diversas sociedades indígenas que habitam o Brasil.

Terceira revolução industrial

Logo após a Segunda Grande Guerra, a economia internacional começou a passar por profundas transformações. Elas caracterizam a Terceira Revolução Industrial, diferenciando-a das duas anteriores, uma vez que engloba mudanças que vão muito além das transformações industriais.
Essa nova fase apresenta processos tecnológicos decorrentes de uma integração física entre ciência e produção, também chamada de revolução tecnocientífica.